Wikia

Psiquiatria Infantil Wiki

Fases do Desenvolvimento da Criança

Discussão0
4 pages em
Este wiki

Fases do Desenvolvimento

DESENVOLVIMENTO

      Crianças não são adultos em miniaturas

      O desenvolvimento de uma criança representa uma complexa interação entre a genética, as capacidades biológicas e o ambiente de criação.

ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO

· S. Freud- Estágios Psicossexuais - http://pt.wikipedia.org/wiki/Sigmund_Freud

· Érik Erikson (estágios Psicossociais) - http://en.wikipedia.org/wiki/Erik_Erikson

· Jean Piaget (estágios cognitivos)- http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Piaget



DESENVOLVIMENTO PRÉ-NATAL

O desenvolvimento neurológico e cerebral ocorre com maior rapidez durante o segundo trimestre da gestação. Assim, lesões neste período podem levar a déficits fucionais nos bebês.

O médico deve questionar o período pré-natal (exposição do feto a álcool, drogas, abuso de medicamentos), traumatismo, tabagismo, hipertensão arterial ou diabete materno além de doenças infecciosas (Toxoplasmose, Rubéola, Catapora, Herpes, HIV, Etc).


DO NASCIMENTO AO PRIMEIRO ANO

Freud denominou este período como FASE ORAL – durante o qual a boca e o comer são de importância dominante. Estágio marcado por dependência extrema, urgência das necessidades, baixa tolerância à frustração e ausência de consideração para com os outros.

Érik Erikson, postulou a crise normativa com a de confiança, versus desconfiança básica. O bebê é capaz de confiar quando se sente seguro e bem cuidado por quem lhes cuida.

Os bebês adquirem segurança ao ter suas necessidades físicas atendidas de forma sensível, segundo John Bowlby. Esse cuidado e a ligação mútua é a chave do apego seguro.

TEMPERAMENTO é um estilo característico inato e pessoal de comportamento. No início da infância e nos anos pré-escolares, sua estabilidade é moderada a alta.

Chess e Thomas definiram as dimensões do temperamento.

Uma criança com temperamento difícil tende a exibir ritmo perturbado (irregularidades de ciclos de sono, alimentação e estados dispertos), retração social, má adaptação a mudanças, reações emocionais intensas e humor negativo.

Bom ajuste de adaptação descreve um ajuste entre as expectativas dos pais sobre a criança e o temperamento da mesma com suas capacidades inatas.

O desajuste pode predispor a criança (mesmo que não seja sua causa) a problemas do comportamento ou emocionais.

É fundamental avaliar qualquer desajuste entre o temperamento e a expectativa dos pais, uma vez que a intervenção precoce pode auxiliar a reconciliá-los para melhor evolução do desenvolvimento infantil.

1A infância é um período de perda rápida de neurônios do córtex cerebral, chamado poda. O bebê nasce com um conjunto completo de neurônios, mas eles não estão bem interconectados. A poda neuronal permite conexões mais específicas que visam ao melhor funcionamento do sistema nervoso.

A estimulação ótima (falar com o bebê, olhar para ele, cuidar e protegê-lo de extremos de negligência ou caos) podem melhorar a eficiência da poda neuronal e assim estimular de forma ótima o processo de desenvolvimento.

Sabe-se hoje que a estimulação ótima nos primeiros anos de vida é essencial para a eficiência ótima do córtex cerebral.

O cérebro tem um terço do tamanho adulto ao nascimento e cresce rápido, chegando a 60% do tamanho adulto em um ano.

PIAGET DENOMINOU o período da infância como Sensório-Motor,quando dos recém-nascidos exibem a capacidade de aprender ao fazer associações entreos meios e os fins.

Aos 6 meses, inicia a “permanência do objeto”=capacidade de um bebê saber que um objeto continua existindo mesmo fora de seu campo de visão.


Entre um e 2 anos,

A criança pode descobrir mecanismos de causa e efeito.

Esquemas ou unidades organizam as lembranças.

Aprendem a assimilar =incorporar conhecimentos novos e a Acomodar=modificar um esquema para se adaptar a novos estímulos.

2 a 3 meses após o nascimento são percebidas nos bebês e nos adultos que dele cuidam:

· Com 2 meses o bebê começa a sorrir (sorriso social) e a imitar as expressões dos outros.

· O choro tem seu pico com 6 semanas e tende a diminuir – os pais geralmente aprendem a descobrir o motivo do choro.

· As cólicas, geralmente desaparecem espontaneamente com, sem ou apesar de tratamento medicamentoso por volta dos 4 meses (não se sabe ao certo sua etiologia; parece tratar-se de imaturação do sistema digestivo).

· Primeiros balbucios aos 3ª 4 meses de idade

· 7 a 9 meses:agem como se compreendessem que seus pensamentos, sentimentos e ações podem ser comunicados e compreendidos por outra pessoa – Além disso têm forte preferência pelos cuidadores com quem estabeleceram relacionamentos.

· Ansiedade com estranhos: Pico aos 8 a 9 meses


· FATORES DE RISCO NA primeira infância: prematuridade, doenças graves, autismo, dificuldade de sugar e se alimentar, atraso no desenvolvimento cognitivo normal,

Teorias do Desenvolvimento – Tabela 1

Idade



Sigmund Freud


Erik Erikson


Jean Piaget



0-1


Fase Oral


Confiança X Desconfiança


Sensório-Motor




Local primário de tensão e

Gratificação: boca,lábios e

Língua (sugar e morder


Confiabilidade provida

Pelos cuidadores

Frustração ao desmame

Otimismo e e esperança

Derivam da confiança básica


(nascimento a 2 anos)

Modificação dos reflexos: fluência intermodal cruzada

Associação entre meios e fins

Permanência do Objeto – o objeto ainda existe mesmo fora do campo visual

Motivação pelo saber fazer – a criança procura dominar os desafios




1-3


Fase Anal

Gratificação e tensão - área anal

(treinamento de esfíncteres)


Autonomia x Vergonha

Aumento da capacidade motora

(esfíncteres e linguagem)

Necessidade delimites CONSISTENTES dos cuidadores



Pode inferir causa e efeito

(1 a 2 anos)

Esquemas (unidades ou categorias de cognições

ASSSIMILAÇAO=incorpora novo conhecimento

ACOMODAÇÃO=modificar esquemas para se adaptar a estímulos novos.




3-5 F


Fase Fálica

Edípica


Iniciativa x Culpa


Fase pré-operacional





Local primário de tensão (genitais)

Ansiedade de castração (medo de perda ou lesão de genitais)

Complexo de Édipo: a criança deseja intimidade como genitor do sexo oposto e quer se livrar do genitor do mesmo sexo


Iniciativa, prazerem atividade e feitos

Culpa sobre impulsos agressivos

Resolução do complexo de Édipo pela identificação de papéis

Rivalidade entre irmãos (Comum)


(2-6 anos)

Aquisição de linguagem

E do raciocínio simbólico

Egocentrismo (visão do mundo

Exclusivamente de sua própria

Perspectiva)

O pensamento é transdutor

(causalidade inferida pela proximidade temporal

Ou espacial)

Pensamento Mágico (pré-lógico)




6-11


Latência


Indústriax Inferioridade

A escola é importante


Operações concretas

Surge o pensamento lógico de causa e efeito




Redução relativa dos impulsos libidinosos

Impulsos sexuais canalizados para atividades socialmente apropriadas (trabalho, escola, esportes)

Desenvolvimento adicional de funções do ego

Formação do superego

Enfoque em relacionamentos do mesmo sexo




A criança está ocupada criando, construindo e realizando

Perigo de sentimento de inferioridade e inadequação na criança

Sente-se incapaz de competir com relação a habilidades e ao status perante os colegas

Idade socialmente decisiva




Idéias e acontecimentos reversíveis

Fala muda de egocêntrica para social

Capacidade de vero ponto de vista dos outros (empatia)

Conserva o volume e a quantidade de interpretação rígida das regras.




11ou +


Fase Genital

Estágio final do desenvolvimento Psicossexual

Recapitulação das fases anteriores

Separação da Família

Formação da identidade

Capacidade Biológica para orgasmo e psicológica para desenvolver intimidade


Identidade x Confusão de Papéis

Identidade inicial com grupo de colegas

Desenvolve identidade do EGO (Sentimento de persistência de si próprio interno)

Preocupação com a aparência

Humor instável e reatividade

Perigo de confusão de papéis

Incerteza sobre a identidade sexual e vocacional


Operações Formais

Raciocínio abstrato hipotético/dedutivo

Elaboração de processamento de informações

Capacidade metacognitiva: pode pensar sobre o pensar

Capacidade de compreender conceitos de probabilidades













DO NASCIMENTO AO PRIMEIRO ANO (INFÂNCIA)

Freud denominou este período de Fase Oral, pois a boca e o comer eram de interesse dominante.

Estágio marcado por dependência extrema, urgência das necessidades, baixa tolerância a frustração e ausência de consideração com os outros.

Erik Erikson postulou a crise nofrmativa da infancia como a de Confiança versus desconfiança básica.

A confiança básica é conseguida quando o bebê se sente seguro e bem cuidado por aqueles que se ocupam dele.


PRÉ-ESCOLAR (2 A 5 ANOS)

A fase anal de Freud vai de 1 ano e meio a 3 anos .Acredita-se estar relacionada a controle, ordem e limpeza associados ao controle dos esfíncteres.

O estágio psicossocial de Erikson é de autonomia versus vergonha, em que a criança pode ganhar auto-estima pelo aumento de suas capacidades, enquanto a vergonha e as dúvidas sobre si mesmo ocorrem com a falta de autocontrole e humilhações impostas pelos pais acerca do trainamentodos esfíncteres.

Durante a fase fálica-edípica de Freud, de 3 a 5 anos, o local primário de tensão e gratificação são os genitais, e medo de lesão, ciume e rivalidade com o genitor do mesmo sexo são os pontos marcantes.

Erikson concebeu este estágio como sendo de conflitos entre iniciativa versus culpa.

A iniciativa leva ao prazer da atividade e de feitos, enquanto a culpa decorre de impulsos agressivos excessivos que surgem neste período.

A identificação de papéis com o genitor parece surgir nesta época.

Este período é conhecido nos EUA como período "Band-Aid", uma vez que qualquer lesão pequena precisa da cuidadosa aplicação de band-aid.

O estágio pré-operacional de Piaget (entre 2 a 6 anos) é caracterizado por um desenolvimento explosivo da linguagem, que leva á habilidade de raciocionar de forma simbólica em vez de motora, como no período sensório-motor.

A capacidade de desenvolvimento da linguagem é determinada geneticamente, mas é reforçada com clareza pela comunicação dos pais que são sensíveis às habilidades emergentes da criança.

O raciocínio se dá, por justaposição por tempo ou espaço.

Os julgamentos são dominados pelas percepções imediatas.

O pensamento é egocêntrico: a criança nova vê os acontecimentos apenas de seu próprio ponto de vista.

São comuns brinquedos fantasiosos e companheiros imaginários, além de conversas com animais de estimação.

Os FATORES DE RISCO PARA TRANSTORNO MENTAL nesta idade são: problemaas graves de comportamento no período pré-escolar, que podem prognosticar várias dificuldades na adolescência. Desafio é normal (até determinado limitie) nesta idade, uma vez que as crianças tendem a se individuar.

Atrasos no desenvolvimento podem se tornar mais óbvios nesta idade, incluindo transtornos da linguagem e da motricidade, dificuldades sociais ou a capacidade de lidar com stress e frustração.

FATORES PROTETORES nesta idade são ua família com funcionamento estável.


IDADE ESCOLAR (6 a 12 anos)


O período de Latência na escola elementar recebeu este nome por S. Freud pela relativa falta de impulsos sexuais (canalizados para atividades socialmente apropriadas - trabalho escolar, esportes e jogos).

Erikson descreveu esta faze como indústria x inferioridade, onde a criança está ocupada em criar, construir e realizar.

Há risco de um sentimento de inferioridade e inadequação, se a criança não se sentir capaz de competir nas habilidades da vida (esportes, escola, habilidades sociais).

Assim, é fundamental diagnosticar os transtornos de aprendizagem e ajudar as crianças a encontrarem o apoio necessário. Caso contrário pode ocorrer baixa-estima.

Esta é a idade dos melhores amigos.

O estágio de Operações Concretas de Piaget (de 6 a 11anos), ocorre com a aquisição de capacidades necessárias para a lógica básica. Uma compreensão de causa e efeito e pode começar a se colocar no lugar de outros.

Conceito de conservação do volume e quantidade são apreendidos.

é a Os desafios do desenvolvimento da escola podem ser difíceis para a criança com medo, para a hiperativa, para a desatenta ou para a mal socializada.

As crianças às quais faltam habilidades sociais, não conseguem ficar quietas e sentadas podem ficar muito frustradas e sofrer pela repulsa de professoras e colegas. 

Crianças ansiosas podem sofrer ansiedade de separação ou escolar, expressas como "dores de barriga", ou outras queixas de doença pela manhã antes do horário escolar (ver mais em doenças psicossomáticas).

A chacota e a provocação dos colegas ("bullyng") podem traumatizar uma criança.

FATORES DE RISCO SOCIO-FAMILIARES incluem: pobreza, família com apenas um genitor, abuso, ambiente do lar caótico ou falta de supervisão. Durante os anos escolares aumenta o número de casos de transtornos mentais de todos os tipos.


ADOLESCÊNCIA


Fase do desenvolvimento, onde o jovem aprende a mudar de confiança quase total nos pais, para autoconfiança quase completa no manejo da própria vida.

Começa na puberdade (idade dos pêlos), com as mudanças físicas que iniciam entre 8 e 13 anos nas meninas e entre 10 e 14 anos nos meninos.

Classificada em estágios por Tanner em Estágio 1 (pré-adolescente) a estágio 5 (Maturação sexual completa), de acordo com desenvolvimento de mamas, pêlos e outros caracteres sexuais secundários e primários.

FREUD chamou a adolescência de FASE GENITAL, onde há uma recapitulação das fases anteriores.

Nesta fase, desenvolvem-se a identidde, separação da família, capacidade biológica para o orgasmo, capacidade psicológica para a intimidade verdadeira.

A IDENTIDADE versus CONFUSAO DE Papéis de ERIKSON caracteriza esta fase.

A identificação com um grupo de colegas supera a existente com a família.

Adolescentes podem ficar preocupados com a aparência, tornando-se instáveis e reativos em relação ao seu humor; Podem, também adequrir um senso de identidade, valores e objetivos pessoais mais permanentes.

Para PIAGET, o crescimento congnitivo da adolescência leva ao estágio de OPERAÇÕES FORMAIS. O adolescente adquire capacidade metacognitiva= pensar sobre o pensar.

Surgem a capacidade de usar o raciocínio abstrato e dudutivo, além da observação e processamento de informações.

Muitos adolescentes começam a pensar mais profundamente sobre religião, filosofia.

Estudos epidemiológicos mostram que a prevalência de DEPRESSÃO aumenta verticalmente na adolescência, principalmente entre as moças.

As quatro causas mais comuns de morte em adolescentes nos EUA são acidentes, suicídio, homicídio e câncer.

Comportamentos de risco bastantes comuns, uso de substâncias lícitas (álcool e tabaco) e ilícitas (drogas), aumentam o risco de acidentes graves.

As taxas de suicidio são mais altas para jovens brancos nos EUA, embora as tentativas sejam maiores nas moças (como nos adultos).

RISCO AUMENTADO PARA VÁRIOS TRANSTORNOS MENTAIS: depressão, transtorno bipolar, pânico, Transtorno obsessivo compulsivo (toc), anorexia e bulimia, abuso de drogas, comportamento anti-social e esquizofrenia.

FATORES PROTETORES - predisposição da personalidade pelo adolescente, família apoiadora, ambiente externo apoiador, boa saúde física, QI normal ou elevado e boa situação econômica.


BIBLIOGRAFIA

1) ASSUMPÇÃO - Tratado de Psiquiatria da Infância e Adolescência

2) AJURIAGUERRA - "

3) LEWUIS- Tratado de Psiquiatria da Infância e Adolescência

4) STUBBE, D. Psiquiatria da Infância e Adolescência; Artmed, 2008.

https://sites.google.com/site/marciocandiani/home/fases-do-desenvolvimento --Marciocandiani 18h33min de 17 de janeiro de 2011 (UTC)

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória